{b

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2007

Eternamente...


Hoje acordei de um sonho
Ao ler e reler teus escritos
Percebi que nada sou pra ti
Já não fazes parte de mim
E não estou mais em tua vida
Que meu desejo não é mais teu desejo
Hoje a dor doeu mais forte
Ao imaginar-te em outros braços
Perder-te em carícias
Que não são minhas...
Não quero e não devo mais
Pensar em ti...
Recolho-me só em meu mundo
Remoendo pensamentos
Relembrando momentos vividos
Tão perdida, tão sentida...
Saíste de mim sem dizer nada
Aos poucos foi me ocupando um vazio aqui
Do outro lado do mundo
Sem tua voz e teu calor...
Gelaste meu coração
Com teu frio
Entorpecestes-me a mente
Num grito calado...
Estou só
Nas trevas
Eras minha luz
Meu alvorecer
Minha canção de amor
Cantada na noite, emudeceu
Os sinos não tocam mais...
Mas, meu coração
Viverá à espera
De tua volta

Eternamente...


12 Comments:

Paulo Cesar said...

Poema triste Menina, mas pensa que podes abrir teu coração a outros amores. Nem valerá a pena esperar uma eternidade por que nos esqueceu. Um dia os sinos voltam a tocar e teu dia brilhará!
bjus

Pedro said...

Quando despertamos de sonhos bons e aconchegantes sentimos o frio da manhã como açoite na pele, mas se dermos uns passo nos deparamos a uma linda manhã de sol a nos aquecer.
Fica bem
Beijos de cá da terrinha.

Poeta sedutor said...

"Não quero e não devo pensar em ti..."
E ainda pensas?
Vale a pena não minha querida menina!

Abre teu coração pra novos rumos.

beijinho

Jofre Alves said...

Em Portugal um grande poeta diz que «o sonho comanda a vida», por é bom saber que a “Menina do Rio” acordou com um sonho. Óptimo fim-de-semana.

Leandro Nascimento said...

Triste porém a realidade de muita gente....

Gaybriel said...

Lindo este teu poema...Hoje estou feliz por lêr imensos talentos escritos! O teu poema acaba por ser algo triste, mas é a realidade de muita gente, a minha também! Bj grande .

JoãoGouveia said...

Menina do rio, calor que provaca arrepio...
Verónica, passei por cá para comentar, como havia prometido, o post anterior, mas já vi que postaste o poema que enviaste-me para o e-mail e que eu li com muito carinho.És um poeta, sim.Gostie muito, especialmente da palavra: enternamente!
Continua a fazer-nos deleitar com a tua prosa mágica, com essa postura amiga que transmites a todos nós.
Beijos

asantos365 said...

Amo-te Sempre

Tenho saudades tuas
Mesmo antes de teres partido
É como se um buraco
Se tivesse aberto no meu peito
No meu coração
A minha pele rasgada
E eu já sem lágrimas
Para te chorar
Quando não te souber
Do outro lado do telefone
Quando não souber onde dormes
O que vêem os teus olhos
Vou perder-me
Nas nossas memórias
Ou melhor
Vou perder-me dentro de ti
Tu és a presença
Mais constante da minha vida
Tu és o meu norte
O meu sul
Os meus dias de verão
E as noites de Inverno
E sem ti
Sou apenas
Uma vaga imagem de quem fui
O amor tem tantas formas
Mas a dor da ausência
Tem sempre o mesmo sabor
E não é possível ser descrita
Não existem palavras
Para dizer como te amo
Porque não consigo recordar
Um simples momento da minha vida
Que não tenha o teu rosto
O teu cheiro
Os teus olhos esverdeados de tristeza
Sempre de tristeza escondida
Por sorrisos mordazes
Quem vai cuidar de ti?
Com quem vais conversar de arte
Musica, disto e daquilo
E de nada
Quem vai tomar conta de ti
Quem te beijará
Quem fará cadeirinha no leito contigo
Nas noites frias de Inverno
Ah! Todas as coisas que não fiz
Todas as palavras que não disse
E agora?
Apenas sei que sempre
Que fechar os olhos te verei
E todas as noites
Quando me deitar
Te sonharei em qualquer sítio
Embalado pela mesma lua
Pelas mesmas estrelas
O amor requer sempre a dor
Ou é sina minha?
Amo-te sempre
Sempre te vou amar

Anônimo said...

Tem gente que se acha, não é mesmo?
Volta a dormir e sonha...... afinal são tantas meu bem! tudo igual até as farses feitas

Anderson Sanches said...

E se meu desejo não é mais teu desejo
deixa-me despertar do sonho
Deixa-me acoradr pra vida
Soltar as cordas que nos
mantém presos nesta alcova
Deixa-me voar
rumo ao infinito...

belo e triste poema!

Pedra da Lua said...

Olá Menina!
Que bonito! Quem dera que o amor fosse rosa sem espinhos mas, se fosse assim, será que teria o mesmo encanto?
Bom carnaval :)
Beijinho

Carlos Eduardo said...

Hoje a dor doeu mais forte
Ao imaginar-te em outros braços
Perder-te em carícias
Que não são minhas...
Não quero e não devo mais
Pensar em ti...
Recolho-me só em meu mundo
Remoendo pensamentos
Relembrando momentos vividos
Momentos de amor junto a ti...

beijo nessa doçura de menina