{b

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O nosso tempo

O nosso tempo não é agora
Ou em outro mundo, lá fora
Um encontro em outra vida
estrelas vagando ao infinito
Talvez num sonho bonito
Ou quem sabe no futuro
num olhar por trás do muro;
ou uma palavra calada

Nosso tempo não se fez
nos dias quentes de um mês
nas horas vagas de um dia
noutras camas, noutras bocas
no calar das vozes roucas
silenciando os espaços
nos vãos de outros abraços
entre o tudo e o nada

Nosso tempo, nem se deu
morreu ainda menino
corações em desatino
febre sem fé amolada
sem delírio ou madrugada
Morreu assim, amiúde
na dor da inquietude
O nosso tempo morreu...

Menina do Rio®

76 Comments:

Desnuda said...

Querida amiga,

há sempre um tempo, quer seja no sonho, nas estrelas, num olhar ou numa palavra, perpetuado. Mas quando morre ainda menino, fica sempre na orfandade um coração, um ou mais sentimentos...Até mesmo o esquecimento na inquietude ou pela dor.


Lindo, como sempre, Verônica! Amei!!!


* Os meus blogs e de muitos com problemas para entrar ou deixar comentários....

Ana Martins said...

Olá Verónica,
muito lindo este poema que fala de um tempo já morto e do desgosto do que com ele se perdeu.

Adorei!

Beijinhos,
Ana Martins

♥ ♥ Rabiscando said...

O tempo passa rápido demais e faz com se perca no espaço dos sonhos.

beijos!

O Árabe said...

Quantas vezes, amiga, o julgamos morto... e ele retorna aos nossos caminhos. :) Belo poema! Boa semana.

Sonia Schmorantz said...

Belíssimo poema, nosso tempo é assim, morre todos os dias um pouco no silêncio das nossas rotinas...
beijos

Faça a Diferença !!! said...

Poema belo, o tempo é tudo! dê tempo ao tempo, e tudo vem no tempo certo.

maresia_mar said...

olá
o tempo, que passa tão rápido, lindissimo o teu poema!

eu cá estou quase de partida, não se esqueçam de serem felizes!!! Até setembro. Bjhs

Fernando Santos (Chana) said...

Olá amiga, belo poema...Espectacular....
Beijos

Fábio Paulos said...

muito bonito o poema!!!

e adoro a musica, do Grupo Hoje, A Gaivota!!!

Léo Metallica said...

O tempo não acaba... Ele pode trasmutar (Físicamentente sim) Mais ele não acaba.

Entendí o contexto de suas palavras. É o fim da alegria, É o fim de almas, é o fim de alguma coisa. O tempo cessou.

Mais ainda que o fim de algo seja triste, ele representa sempre o início de outras coisas.

É como o Big Bang. Por trás de um grande encerramento sempre tem um grande evento. Assim é a vida.. assim é o tempo.

Direto do Rio.
Beijos.

Luis F said...

Amiga

Como é bom mergulhar neste teu mundo, sentindo o perfume das palavras e o aroma do sentimento que escreves tão bem...

Com amizade
Bjs
Luis

M. Nilza said...

Triste conclusão, pois que a morte pode ser o início ou o fim de tudo.

Beijos menina!

~*Rebeca e Jota Cê *~ said...

Menina linda do Rio,

Esse tempo contado faz morrer o tempo feliz de momentos únicos. Você nasceu pra ser poetisa, tudo o que sai de ti vira beleza aos nossos olhos.

Beijo grande, Verônica.

Rebeca

-

Everson Russo said...

Que lindo e triste ao mesmo tempo, mas como eu ando meio assim tambem, achando que meu tempo por aqui nesse mundinho ta se esgotando, eu penso sempre que podemos arrumar mais um tempinho principalmente pra sermos felizes....um beijo na alma e um dia lindo pra ti...

Sol da meia noite said...

Quando se olha para trás e se sente que tudo se perdeu, resta olhar em frente e acreditar que nunca é tarde.
Que depois de tempo vem tempo...

Um dia lindo para ti, amiga :-)
Um beijinho *

Nilson Barcelli said...

Belíssimo poema querida amiga.
Gostei imenso.
Beijo.

Lira Santos said...

beijos Verô;
Você veio para vencer as adversidades
e os desafios da vida.
Você já nasceu Vencedor!
Lembre-se que dentre milhões de sementes
Você foi aquela que vingou.

Acredite que ninguém é tratado com
privilégios pela Vida:
Ela trata a todos de modo igual e estamos
todos sob as mesmas leis.

São nossos pensamentos e a força
que neles colocamos
que fazem tudo acontecer.

Pensemos no sucesso e ele virá.
Pensemos na saúde e ela se manisfetará.
Acreditamos no Bem e ele sempre se
mostrará.
Nada é impossível onde existe a Fé!

Regina said...

Querida amiga.
Parabéns pelo seu livro, só lhe peço que me avise quando estiver nas bancas.
Existe sempre tempos em nossas vidas.
Momentos bons, as quais devemos viver intensamente.
Uma semana de muita paz, amor e luz.
Que Deus possa sempre guiar seus passos e pensamentos.
Parabéns mais uma vez, vc. merece
Beijinhos doces.
Regina Coeli.

utopia das palavras said...

Olá Verô

O tempo faz-se em cada suspiro e em cada folgada de ar que não se dá, o tempo...morre!

Tempo de te ler com emoção, amiga!

Beijo

mixtu said...

o nosso tempo não morreu
(desculpa) :)
o nosso tempo é o futuro...

que se bem medido... tem o tamanho da vida...

poesia

abrazos serranos y europeus

Gui said...

É sempre com muito agrado que leu os seus poemas. São lindos, musicais como eu gosto. Um beijo minha boa amiga.

A.S. said...

Só morre o nosso tempo, quando deixamos que ele passe por nós sem que nos veja!


Beijos...

Mário Margaride said...

Um belo poema querida amiga.

Há sempre tempos, que não se perdem no tempo.

Beijinho e um excelente fim de semana.

Mário

Antonio saramago said...

Onde ker ke esteja-mos, é lá ou cá que temos o nosso tempo
afinal quando sai o livro?

Princesa said...

Bonito poema...

"Muito freqüentemente,

nós subestimamos o poder do carinho,

de um sorriso, uma palavra amável,

um ombro amigo, dar ouvidos,

um elogio honesto, ou o menor ato de dedicação,

pois todos têm o poder de transformar uma vida."

Bom fim de semana
um beijo

Sofá Amarelo said...

O coração é perfeito, pena que nem tudo à nossa volta seja assim como o coração...

Muitos beijinhos. Bom fim-de-semana!!!

Menina do Rio said...

Olá amiga Regina Coeli,
Não consigo aceder ao teu blog, pois me aparece como NÃO disponível, o que é uma pena...


Obrigada pela visita e carinho
Beijinhos

adenilson said...

ebaa voltou
é complicado entender o tempo =/
mas seu texto ajudou a compreender um pouko melhor desse q é um amigo e as vezes um inimigo...
mas enfim
to aqui pra comentar como sempre.
e pedindo pra q vc de sua colaboração lá no primeiro post do blog...é um pedido muito especial e conto com sua ajuda.
ótimo fds.
nos falamos em breve....
e feliz dia do voto secreto...
abraço

EDUARDO POISL said...

Ninguém tem culpa
Daquilo que não fomos
Não ouve erros

Nem cálculos falhados

Sobre a estipe de papel;
Apenas não somos os calculistas
Porem os calculados

Não somos os desenhistas
Mas os desenhados
E muito menos escrevemos versos
E sim somos escritos

Ninguém é culpado de nada
Neste estranhar constante
Ao longe uma chuva fina
Molha aquilo que não fomos...

Autor: Desconhecido
Um lindo final de semana com todo carinho para você.
Abraços

Lilá(s) said...

Como sempre, estou a aplaudir, belissímo.
Bj

Agulheta said...

Verónica.Como sabes ainda estou a gozar umas férias,andava bastante cansada Hoje deu para visitar os amigos e adorei o poema, daqueles que nos habituas-te.

Beijinho e tudo de bom Lisa

Papoila said...

Querida Verónica:
Voltei!
O tempo assim cantado, não se esgota... perdura nas palavras doces que o descrevem.
Lindo!
Beijos

O Árabe said...

Boa semana, Menina. Aguardo o novo post!

Marcos said...

Bonito tb. Vc não vai declamar?

Vi os outros tb

adenilson said...

intaum meninona.
parece q pelo google chrome dá
a menina q comentou acima de vc disse q conseguiu
e sobre os dados pode inventar.
de seu prmieiro nome
e outro sobrenoe
endereço vc inventa eles.
o rg tbm pode trokar uns numeros
minha mãe votou com meu RG
kkkkkkkkk

Daniel Costa said...

Menina do Rio

O nosso tempo poético, enquanto houver poetas como assim, será sempre o tempo sem tempo, que será perpetuado assim.
O poder-se falar recordar, é recuar hoje, tentar avançar amanhã, fazer da vida irmã.
Beijos,
Daniel

São said...

Não, amiga, ao contrário do que o teu belo poema (nos) diz, o trempo nunca morre...

Beijinhos.

FOTOS-SUSY said...

OLA VERONICA,FASCINANTE POEMA, ADOREI!!!
CONTINUACAO DE UM FELIZ DOMINGO...

BEIJINHOS DE CORACAO.


SUSY

Everson Russo said...

Uma linda semana de paz e muito cairnho ao seu coração poetico...beijos na alma.

MARTHA THORMAN VON MADERS said...

O tempo! Aqui magnificamente exposto!
Beijos poeta.
Vá por lá quando der um tempinho.

GarçaReal said...

O tempo sempre comanda nosso viver.
O tempo por vezes não nos dá o tempo que precisamos ou queremos.

O tempo de ler-te é belo...Porque belo é o teu poema.

Boa semana linda amiga

Bjgrande lá do meu Lago

MARTHA THORMAN VON MADERS said...

Minha querida grande escritora vai ser um grande prazer ser sua amiga no orkut.
Bela notícia para uma segunda feira com chuva.
beijosssssss

Vieira Calado said...

Oh, amiga!...

Depois do tempo, tempo vem.

O que é necessário

é aceitar o inevitável da mudança.

Bjs

EDUARDO POISL said...

Tem uma surpresa para você no UMA ILHA PARA AMAR, espero que goste.
Abraços

tossan® said...

Estive lá no blog do Eduardo e senti as duas belíssimas poesias. Gostei muito! Beijo

Zeze said...

Oi Amiga

Embora de férias, neste regresso temos sempre tempo para por tudo em dia, pelo menos esperamos que sim. Afinal o tempo serve para isso porque sem tempo já não tempo para nada...

Beijoka

Deusa Odoyá said...

Olá minha estimada amiga e poetisa.
O tempo, sempre acompanhando os caminhos.
Seja em sonhos, no céu , na terra esse tempo sempre existirá.
As vezes precisamos deles, para então darmos um novo rumo em nosssa vida.
Essa poesia é bonita e nos serve como reflexão.
Não vamos lembrar o tempo morto, ms sim o tempo do renascimento.
Parabéns, minha amiga Menina do Rio ,por esse belo livro.
Uma semana abençoada e de muitas realizações em sua vida.
Beijinhos doces.
Regina Coeli.
Fique na paz.

pico minha ilha said...

Até que enfim, já passei aqui não consegui comentar, espero conseguir agora.Gostei do poema.Espero para saber os locais de venda do livro, quem sabe encontro por aqui.Beijinhos

caurosa said...

Minha cara amiga Menina do Rio, sempre belos e instigantes os seus poemas, minha visita é sempre bem recompensada e agradável. Meus parabéns.

Muita paz e harmonia em sua vida

Forte abraço

Caurosa

Nilson Barcelli said...

Reli e encontrei novos detalhes poéticos. Continuei a gostar imenso do teu poema querida amiga.
Bom resto de semana, beijo.

Amordemadrugada said...

Então Menina! Tudo em cima?
Não keres apanhar um solito portugues?
É mais kentinho lol
Va mete te no aviao...ihih
besito e aparece

Pena said...

Lindíssima Amiga:
Só VOCÊ poderia escrever este fabuloso hino ao nosso tempo. Ímpar de sentimento puro e belo.
Extraordinário sentir e ser.
Perfeita linguagem poética de fascinar.
Adorei. Fantástico, saído da sua mágica pena de sonho.
Beijinhos. "Carradas" deles pelo seu génio e talento.

pena

É Linda, sabia...!

Ava said...

Amiga, meio triste...

Ou muito triste..

Não me deixe pensar que meu tempo morreu...

É por esse tempo que a gente ainda vive...


A crença em alguma coisa ou em algo...

Só assim, temos força para seguir...


Forte demais suas palavras!

Há que se pensar nesse tempo...


Beijos em seu coração!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO said...

A MORTE DOS AMANTES
Charles Baudelaire

Lençóis cheios de aromas delicados,
Divãs profundos como mausoléus,
Estranhas flores por sobre os estrados,
Abertas pra nós sob mais belos céus.

Já quase ao fim do seu fogo atiçado,
Nossos peitos serão dois fogaréus
Que refletirão seu facho apagado
Nas almas gêmeas, cristais sem véus.

Num místico azul, róseo entardecer,
Um singular orgasmo vamos ter,
Qual soluço de eterna despedida;

Então um Anjo vem pra abrir as portas,
E fiel, feliz, dá, devolve a vida
Aos pálidos cristais e às chamas mortas.

(Tradução de Renata Cordeiro)

Verônica:
O tempo dos amantes só morre junto com o gozo dos amantes, depois ele retorna, é cíclico.
Estou com muitas saudades suas. Vejo-a comentar em vários Blogs e sempre penso que tenho que vir aqui.
Dos 15 Blogs que tinha, fechei 14, por motivos pessoais, extra-Blogs. Fiquei com 1 e criei o meu Blog de referência, pessoal, o EU E DAÍ? Gostaria muito que me visitasse, se lhe aprouver:
http://blogrenataeuedai.blogspot.com
Não se sinta obrigada e nem alegue falta de tempo, por favor. Se vier, será muito bem recebida.
Beijos, e o meu carinho,
Renata

MEU DOCE AMOR said...

Olá Menina:

Vim ler os teus poemas.Tempo é agora...aquele que vai mexendo connosco.

Beijinho doce e parabéns pelo livro:)))

Everson Russo said...

Bom dia , passando pra registrar um carinho especial pra ti e desejar uma linda quinta feira cheia de amor e poesia...beijos na alma.

Helena Paixão said...

Querida Verónica...
... lindo!... que expressão!

Bjocas

poetaeusou . . . said...

*
o tempo
é o destempo a tempo ...
,
adorei, linda,
,
conchinhas do tempo,
deixo,
,
*

Agulheta said...

Verónica. Temos sempre um pempo para tudo,o sonho o luar e o amor,mas nunca se deve perder o sonho.
Beijinho fica bem

CátiaSofia said...

É mesmo pena que esse vosso tempo tenha morrido, mas desecalhar até foi bom isso ter acontecido.


Beijo grande e doce.

SAM said...

Amiga, lindo fim de semana! Muitos beijos.

Sonia Schmorantz said...

Que se faça um tempo lindo para este final de semana tambem..Parabéns pelo poema, este é para ler e reler sempre que posso!
beijos

elvira carvalho said...

Um belíssimo poema. O tempo já morto em rotinas mecanizadas tem que ficar para trás. É tempo de quebrar as rotinas e viver um mundo novo.
Um abraço e bom fim de semana

Alvaro Oliveira said...

Olá minha amiga

que se passa, que temos andado tão perdidos um do outro?

faça uma visitinha ao meu cantinho, tem um carino para vc.
é o BLOG DE LUZ, ao cimo da barra lateral. Eu a espero por lá, amiga querida.

Beijinhos

Alvaro

Ana said...

Hoje tive "tempo" para ler este belo poema "O nosso tempo" um tempo que morreu e de tudo aquilo que ficou perdido com ele.
Adorei querida Verónica.
Um grande beijinho,
Ana Paula

Anônimo said...

Querida ,amiga agradeço sua visita ,também desejo um abençoado final de semana .Com um grande trasntorno na hospedagem das imagens do meus blogs passei de quarta até na tarde de hoje recuperando tudo ou quase tudo caso tudo que foi oferecido por favor pega outra vez tive que mudar tudo ,agradeço de coração pois ñ tenho outra solução .Um carinhoso beijo ,Evanir.

www.fonte-amor.zip.net

Amordemadrugada said...

bom fim de semana Menina bonita
beso

adenilson said...

éé quando atualizares me grite viou ô páh!...
\o/
ótimo fds.
brigado pela força lá no blog.
grande abraço
e voltamos ao normal!
xD~

Brancamar said...

Lindíssimo poema, Verónica!
Que saudade tinha de a encontrar aqui. Tenho andado entre o cansado e o preguiçoso, mas não me esqueço de si.
Vou voltando sempre que posso.
Beijinhos.

M. Nilza said...

Bom domingo menina!
beijos

Luma said...

Existe tempo pra tudo, inclusive para o amor. Há quem diga que ele é eterno. Outros dizem que um amor pode morrer para fortalecer outro, vai saber!! Boa semana! Beijus

GarçaReal said...

Temos sempre o nosso tempo. Ontem , hoje , àmanhã e sempre existe sempre o momento do nosso tempo.

Muito belo o teu poema

Daquele lado te deixo

um bjgrande do Lago

O Árabe said...

Aguardando o novo post (e o livro), desejo-te uma boa semana! :)

mixtu said...

relendo e revendo o tempo...
tempos...
noutras camas
noutros beijos
vozes roucas... caladas

abrazo serrano com chocolate

amordemadrugada said...

bom, primavera começando aí, tá na hora de eu abalar pró Brasil...ihihih
beijo-te

Amordemadrugada said...

ola amiga
tenho saudades de falar com tu
desejo te um lindo fim de semana, ta?
besito